Detalhe Livro
Disponível

Comunidade

Zygmunt Bauman

Descrição

O mundo que habitamos é cada vez menos capaz de oferecer segurança; mas há um paraíso onde estamos a salvo das ameaças externas, um “lugar aconchegante”: a comunidade. Ao mesmo tempo em que oferece proteção, a vida em comunidade apresenta um dilema, com suas restrições à liberdade individual. Por isso, a comunidade é um conceito-chave para a compreensão da natureza e o futuro das sociedades. Para Zygmunt Bauman, trata-se de um paraíso perdido, provavelmente longe de ser alcançado. Nesse livro, o sociólogo se volta para o tema da busca por segurança em detrimento da liberdade individual, analisando como conciliar a preservação dos direitos do indivíduo e a vida em comunidade. “Bauman deseja que a crítica social tenha um papel mais ativo, e indica uma direção ao mostrar como as relações entre indivíduos e sociedade e entre as esferas privada e pública podem ser rearticuladas, restaurando o espírito da ágora à vida social e política.” British Journal of Sociology

Condição Seminovo
ISBN 9788571106994
Zahar
 
 

 
 
2000 caracteres restantes

 

O mundo que habitamos é cada vez menos capaz de oferecer segurança; mas há um paraíso onde estamos a salvo das ameaças externas, um “lugar aconchegante”: a comunidade. Ao mesmo tempo em que oferece proteção, a vida em comunidade apresenta um dilema, com suas restrições à liberdade individual. Por isso, a comunidade é um conceito-chave para a compreensão da natureza e o futuro das sociedades. Para Zygmunt Bauman, trata-se de um paraíso perdido, provavelmente longe de ser alcançado. Nesse livro, o sociólogo se volta para o tema da busca por segurança em detrimento da liberdade individual, analisando como conciliar a preservação dos direitos do indivíduo e a vida em comunidade. “Bauman deseja que a crítica social tenha um papel mais ativo, e indica uma direção ao mostrar como as relações entre indivíduos e sociedade e entre as esferas privada e pública podem ser rearticuladas, restaurando o espírito da ágora à vida social e política.” British Journal of Sociology

24/03/2016